lomadee

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Mais 4 mil pessoas receberão o Cheque Minha Casa para melhorar e ampliar moradias no Maranhão


O governador Flávio Dino anunciou, nesta quarta-feira (21), que o Maranhão vai ter um grande reforço em um dos mais importantes programas de moradia do estado em 2018. “No ano passado, 4.000 famílias foram beneficiadas com o Cheque Minha Casa do Governo do Maranhão. Agora a Secretaria de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano vai chamar mais 4.000 beneficiários”, disse por meio das redes sociais.

Destinado a famílias de baixa renda, o Cheque Minha Casa foi criado para apoiar a reforma, ampliação ou melhoria de moradias já existentes, priorizando as instalações sanitárias do imóvel.

Em 2017, o programa beneficiou 4 mil famílias residentes nas cidades de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

Foram R$ 20 milhões de investimentos. Com isso, as empresas que participam fornecendo os materiais também tiveram desconto no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) equivalente ao valor total dos materiais fornecidos, gerando trabalho, emprego e renda.

A secretária de Estado das Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), Flávia Alexandrina, conta que o cronograma de 2018 está sendo definido.

“Retomaremos as entregas dos benefícios do Programa Cheque Minha Casa, que no exercício de 2017 alcançou sua meta de melhorar as condições de moradia de 4.000 famílias e o objetivo de dinamizar a economia no setor de material de construção, com elevação do número de empregos nas lojas que aderiram ao programa. Considerando o êxito comprovado do programa por meio do controle realizado pela Secid, estamos definindo as datas das entregas de mais 4.000 cheques, as quais ocorrerão nos próximos meses de abril e maio”, explicou a secretária Flávia Alexandrina.

Emoção

Os moradores que já foram contemplados em 2017 dizem que o programa representa uma oportunidade de transformação.

“Emoção. É quando a pessoa sente o que tinha acontecido na vida. E agora está acontecendo”, disse o aposentado Alan Jorge ao resumir a sensação de ter sido incluído no Cheque Minha Casa.

A dona de casa Alice Mendes contou que finalmente vai conseguir concluir a obra da casa que começou faz oito anos: “Alegria, muita alegria”.

Governo encerra espera de 30 anos e realiza obra histórica de abastecimento em Tutoia


O Governo do Maranhão instalou um novo panorama em relação ao abastecimento para a sede da cidade de Tutoia, município distante 320 km da capital. Mesmo tendo população estimada em 59 mil habitantes e estar localizada em uma região de alto potencial turístico, a cidade de Tutóia não dispunha, até então, de um sistema de garantisse o abastecimento da cidade. A população precisava comprar água, muitas vezes de qualidade duvidosa, ou então contava com poços – os chamados “cacimbões -, geralmente apresentando níveis altíssimos de coliformes fecais e cloreto de sódio, deixando a água salgada, entre outros problemas que afetavam a saúde da população.

Sensível à situação, o Governo destinou esforços e recursos que foram capazes de transformar essa realidade. Foram investidos mais de R$7 milhões em intervenções para estruturar o sistema desde a captação, passa pela construção de Estação de Tratamento de Água – ETA, e vai até a implantação de redes de distribuição de água tratada para atender os bairros da sede.

A obra seguiu todos os passos necessários para que se cumprisse um planejamento traçado desde a elaboração do projeto, contemplando questões da Política Ambiental instituída pela empresa, para minimizar impactos decorrentes das atividades de operação com vistas ao fornecimento de água potável de forma eficaz, responsável e sustentável, e garantir a preservação dos locais de captação.

Implantação

A primeira etapa de implantação do Sistema de Abastecimento de Água da Cidade de Tutóia destinou-se à captação. Para isso, foi contemplado pelo projeto a construção de dois tubulões em aço patinável de diâmetro 1.400 mm e altura de 4,8 m, fazendo a captação de água direta do Riacho Bom Gosto.

Paralelo a isso, as obras inclinaram-se sobre a concretização de estruturas físicas da Estação Elevatória de Água Bruta e a construção de Casa de Bombas para abrigar dois conjuntos moto-bombas (CMB). Também foi implantada uma linha adutora de água bruta de tubos de alta resistência (DN200) para suportar o atrito da vazão, com extensão de 125 metros, que possibilitasse transportar a água do riacho até a Estação de Tratamento de Água – ETA, onde toda água produzida seja tratada para estar apta a ser consumida.

Um dos pontos mais importantes no processo foi a construção de uma estação de tratamento de água convencional em concreto armado, apropriada para tratar, por hora, 2 mil litros da água captada no riacho. Também foram implantados 5KM de nova linha de adutora de água já tratada com diâmetros variando entre de DN250 a DN300, em complemento à adutora já existente de 8 mil metros, estendendo-a para um total de 13km de adutora. Também foram reestruturados e recuperados reservatórios apoiados com a impermeabilização e pintura.

Após a estruturação de todo o parque para captação, adução dos volumes e tratamento da água, a segunda etapa da obra foi a chegada da água aos bairros e torneiras dos tutoienses, a exemplo dos bairros Paxicá, Comum e Bom Gosto. Apesar da preparação deste trabalho estar concomitante à primeira etapa, inclusive já com algumas ligações executadas ainda nesta fase (primeiras 1.380 unidades de ligações domiciliares em áreas próximas a ETA), foram planejadas para atender a população uma rede de distribuição com 64km de extensão, hoje 100% executada, propiciando um total de mais 4.380 novas ligações somadas às já existentes.

Compromisso X Promessas

As obras para reestruturação do Sistema de Abastecimento de Água de Tutóia estavam paradas por diversas incompatibilidades técnicas e legais, e embargados por órgãos fiscalizadores desde 2013. Logo que assumiu o governo, o Governador Flavio Dino assegurou que seriam tomadas providencias emergenciais que paralelamente garantissem mais água nas torneiras o quanto antes. Empreendeu-se, então, uma série de medidas e visitas à sede e localidades no município para ouvir a população e buscar alternativas, juntamente com sua equipe técnica, para resolver o problema de falta de água em Tutoia.

Entre as alternativas emergenciais, a Caema estabeleceu como prioridade a perfuração de poços que pudessem de imediato suprir a necessidade de algumas comunidades que viviam sem abastecimento. Foram perfurados poços localizados no Bom Gosto e no Comum, para que se pudesse aumentar a ofertar de água potável à população. Com vazão média de 40 mil litros cada um, os novos poços permitiram abastecer de imediato, à época, 800 casas na sede.

As obras para total recuperação, ampliação e expansão do Sistema Abastecimento de Água da Cidade de Tutoia foram realizadas para que toda a população pudesse ser beneficiada com o aumento do volume de água produzido, armazenado e distribuição para as casas, abastecendo diretamente 21.000 mil habitantes da sede. Concluídas as obras no mês passado, o Sistema entrou, então, em fase de testes e monitoramento, para que possa passar a operar em definitivo.

“Aqui em Tutoia, o povo não acreditava mais que a situação pudesse mudar. Tanto que, ao longo de tantos anos, espalhou-se na cidade uma anedota popular, e a espera pela água nas torneiras passou a ser definida pela população como ‘A lenda da Água’. Essa era uma expressão comumente pronunciada e ouvida pelas ruas de Tutoia, devido ao fato de que várias promessas foram feitas e reiteradas por governantes no sentido de dar aos moradores da sede um abastecimento digno. Com todo esse extenso trabalho que foi desenvolvido pelo Governo e pela Caema, o quadro agora é outro. Nas rodas de conversas, nos encontros de amigos, ‘A lenda da Água’a deu lugar à realidade”, conta Marcelo Santos Serejo, encarregado pelo sistema de abastecimento da cidade.

Ele explica que, durante a fase de testes, um dos objetivos é verificar o alcance da vazão. Para isso, várias torneiras foram instaladas em diversos pontos específicos, para que se monitore se a água está chegando com a frequência e intensidade esperadas. “Ao abrir as torneiras de teste, é interessante ver como o povo reage, arranca sorrisos e reações inesperadas, afinal, era uma ideia bastante distante da realidade de muitos ver água saindo da torneira”, conta ele.

Outra medida feita pela Caema para acelerar o abastecimento foi colocar cavaletes com ramais na porta das residências, facilitando para que, a partir deles, moradores possam fazer a interligação com sua rede doméstica. Mesmo com água ainda somente na torneira implantada em sua porta, Deusalene Cruz de Oliveira, 42 anos, moradora do Centro, é só agradecimentos.

A falta de esperança em dias melhores, deram lugar à confiança com a chegada da água. Ela conta que, apesar de estar no Centro da cidade, não tinha água há 20 anos. “Nós estamos esperando o governador de braços abertos, porque hoje nós estamos vendo essa maravilha aqui. Nunca imaginava de ver água em Tutoia, e hoje a água está aqui e tem para todos”, agradeceu ela.

Outro bairro onde os moradores estão radiantes é o Monte Castelo. Maria do Socorro Gomes Pinheiro, de 50 anos, moradora do bairro, diz estar muito feliz por este ponto de água. “Há muito tempo que estava aqui sem água, é uma coisa que não podemos viver sem. Agradeço ao Governo do Estado, por que agora estamos muito bem”, disse.

Número:

Investimento de R$7.008,993,46

Obras executadas em Tutoia:

- Captação Riacho Bom Gosto - Casa de bombas, Estação Elevatória de Água Bruta, execução da estrutura física e instalações de 02(dois) conjunto moto-bomba, totalizando vazão de 200m³/ h, implantação de adutora de água bruta DN200, 125 metros).
– Estação de Tratamento de Água – ETA - ETA convencional – Estruturação em concreto armado, vazão de 200m³/ h. Elevatória de água tratada – Execução de casa de bombas e estação elevatória de água tratada, vazão 200m³/ h, adutora de água tratada (Implantação de 5 km de linha adutora nova – DN250 a DN300).
– Redes de distribuição - 64km de rede nova implantada (diâmetro) DN50 a DN200, propiciando 4.380 novas ligações.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Governo lança editais para contratação de professores para educação indígena e educação prisional


O Governo do Maranhão divulgou, nesta sexta-feira (16), editais de processos seletivos simplificados para contratação temporária de professores indígenas Awá Guajá e Ka’apo, para atuarem na Educação Básica, nos municípios de Bom Jardim/URE Santa Inês e Centro do Guilherme, Centro Novo do Maranhão e Santa Luzia do Paruá/URE Zé Doca e para professores para atuarem na Educação Básica, nos cursos do Ensino Fundamental e Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos, nas Unidades Prisionais e em cumprimento de Medidas Socioeducativas.

Ao todo, estão sendo disponibilizadas 21 vagas para professores indígenas da etnia Awá Guajá e/ou Ka’apor, e 154 vagas para professores de Educação Básica. As inscrições serão gratuitas e devem ser realizadas a partir das 0h de terça-feira (20) até às 23h59 do dia 23 (sexta-feira), exclusivamente pelo endereço eletrônico da Secretaria de Estado da Educação (http://www.educacao.ma.gov.br/seletivos-2018/).

O candidato deverá preencher a ficha de inscrição, disponibilizada no portal da Seduc, e entregá-la junto com os documentos e títulos, no período de 20 a 26 de fevereiro, das 13h às 19h, conforme endereços indicados nos editais dos seletivos, também disponíveis em www.educacao.ma.gov.br.

O processo seletivo para professores da educação indígena será composto de avaliação de experiência profissional docente, comprovada por documento emitido pelo responsável pela escola indígena e atestado pelo gestor das URE’s de Santa Inês e/ou Zé Doca, conforme município pleiteado pelo candidato, em etapa única e não haverá pagamento de taxa de inscrição. Os candidatos aprovados, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Seduc em regime de 20 horas de trabalho semanais.

Já o processo seletivo para professores da educação prisional será realizado em etapa única e será composto de avaliação curricular de títulos e experiência profissional docente na Educação de Jovens e Adultos e no Sistema Prisional e/ou de Medidas Socioeducativas. Os aprovados, dentro do limite de vagas, serão contratados pela Seduc, também, em regime de 20 horas de trabalho semanais.

A divulgação do resultado parcial dos seletivos está prevista para o dia 14 de março. Já a homologação do resultado final para professores da educação indígena está prevista para o dia 22 de março, e para professores da educação prisional, para o dia 23 de março de 2018.

A Seduc informa, ainda, que o processo seletivo ocorre sem prejuízos ao concurso público já previsto para este ano. Confira mais informações acessando aqui: http://www.educacao.ma.gov.br/seletivos-2018/


Em três anos, Procon passa de 5 para 50 unidades no Maranhão


De cinco para 50. Essa foi a expansão das unidades do VIVA/Procon no Maranhão em apenas pouco mais de três anos. Isso significa que centenas de milhares de pessoas passaram a ter acesso muito mais fácil a documentos e a diversos serviços públicos.

O crescimento da rede vem sendo feito desde 2015, por determinação do governador Flávio Dino.

A presença do VIVA/Procon é importante porque garante direitos básicos ao cidadão, como emissão da 1ª e 2ª via do RG, inscrição e consulta do CPF, antecedentes criminais, inscrições em concursos e outros serviços on-line.

Antes, com poucas unidades, os moradores eram obrigados muitas vezes a viajar para outras cidades a fim de conseguir atendimento.

Além disso, as unidades também permitem a formalização de denúncias contra empresas e fornecimento de orientações a consumidores e fornecedores. Isso é um direito assegurado aos cidadãos.

Mais com menos

Desde 2015, já foram feitos cerca de 750 mil atendimentos, um aumento de mais de 1.200% na comparação com a gestão anterior. E tudo isso foi feito gastando muito menos: a economia foi de 72% neste período.

“Uma diretriz do Governo é fazer mais com menos. Vivemos um momento de restrições financeiras e ficamos satisfeitos quando essa diretriz é atendida”, disse o governador Flávio Dino.

O presidente do Procon, Duarte Júnior, afirmou que “não medimos esforços para garantir direitos em todas as regiões do Maranhão”.

Unidades Móveis

Para atender as cidades que ainda não têm prédios do VIVA/Procon, unidades móveis percorrem as regiões e fazem o atendimento. Por enquanto, são nove veículos, entre unidades móveis e viaturas.

Modernas e bem equipadas, as novas carretas permitem acesso a cadeirantes, com plataforma elevatória e rampas, e capacidade de 500 atendimentos por dia.

Fonte: Governo do Maranhão
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...