lomadee

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Inaugurado Centro de Reintegração Social da APAC em Itapecuru-Mirim


O Poder Judiciário da Comarca de Itapecuru-Mirim inaugurou nesta terça-feira (21), o Centro de Reintegração Social da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, localizado às margens da BR 222. Idealizada pela juíza titular da 2ª Vara e responsável pela execução penal, Mirella Freitas, a APAC vai abrigar 39 recuperandos que cumprem pena em regime fechado na Unidade de Ressocialização do município. A solenidade contou com a presença do desembargador Froz Sobrinho, do secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, e secretário de Administração Penitenciária, Murilo Andrade.

A estrutura inicial da APAC conta com uma grande área onde os presos recuperandos do regime fechado terão a oportunidade de ler, assistir aulas - inclusive de informática - aprender a cultivar hortaliças, verduras, e criar peixes e aves. Segundo a presidente da APAC, Jovita Nogueira, os recuperandos terão diversas tarefas ao longo do dia, como a limpeza do próprio prédio, manutenção da horta, momento de oração e louvor espiritual, entre outros.

As duas primeiras celas foram construídas pelos nove presos que já integram a associação. De acordo com a juíza Mirella Freitas, os outros trinta presos que irão ter a oportunidade de ressocialização através da metodologia APAC serão escolhidos pela Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) através de uma seleção dos presos condenados de Justiça que cumprem pena na unidade prisicional do município. "A APAC nos traz a esperança de ressocializar verdadeiramente as pessoas que comenteram algum tipo de crime, e isso só está sendo possível devido ao apoio recebido por diversas instituições, organizações e pessoas envolvidas que acreditaram na iniciativa do Poder Judiciário de Itapecuru-Mirim", agradeceu a juíza.

O desembargador Froz Sobrinho, coordenador da Unidade de Monitoramento Carcerário do Tribunal de Justiça, afirmou que a atitude do Judiciário na comarca ao implantar o método APAC para a execução penal demonstra que é possível realizar, mudar vidas e transformar pessoas. "É tão dificil realizar alguma coisa, mas ao percebermos o envolvimento da sociedade itapecuruense com a APAC temos a certeza que o método alcançará seus objetivos, realizando de fato o ciclo da ressocialização com a progressão da pena", ressaltou o desembargador.

O secretário Jefferson Portela também parabenizou a iniciativa da juíza Mirella Freitas ao idealizar a implantação da metodologia APAC na execução penal da comarca, o que segundo ele, transformará a vida de dezenas de pessoas que precisam de ajuda do Poder Público para a reinserção na sociedade.

O prédio que abriga a APAC foi doado pelo empresário do município, Benedito Mendes, do grupo BB Mendes. Ele ressaltou que a importância social do projeto foi fator determinante para a cessão do prédio. "Estamos contribuindo com a sociedade ao nos engajarmos neste importante projeto do Poder Judiciário e Governo do Estado na recuperação de vidas", explicou o empresário.

O presidente da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar, também participou da inaurugação do prédio. O escritor que nasceu em Itapecuru e é apoiador do projeto, doou 50 livros para o acervo da Biblioteca APAC. "Espero que os livros contribuam com a remissão das penas, mas, principalmente, com a transformação dos recuperandos em novas pessoas", finalizou Benedito Buzar.

A cerimônia de inauguração da APAC também contou com a presença do prefeito do município, Magno Amorim; vereador Costa Cardoso, presidente da Câmara Municipal; juíza Laysa Mendes, titular da 1ª Vara de Itapecuru; promotora de Justiça, Carla Alencar; defensores públicos, Marcos Patrício e Marcus Monteiro; delegado geral de Polícia Civil, Lawrence Pereira; delegado de Polícia Civil de Itapecuru, Samuel Morita; supervisora da metodologia APAC no Maranhão, Rayana Araújo; padre Jean Carlos, da Paróquia de Itapecuru; e do pastor Sebastião Ribamar, e demais autoridades.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...