lomadee

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Profissionais de saúde participam de palestra com pesquisadores sobre Dengue, Zika vírus e Chikungunya


Diagnóstico, origem, formas de prevenção e manejo clínico das arboviroses (Dengue, Zika vírus e Chikungunya) foram os temas das palestras realizadas, na tarde de segunda-feira (19), no auditório do Rio Poty Hotel. A ministração do evento ficou a cargo dos pesquisadores do Instituto Evandro Chagas, que vieram à capital a convite da Superintendência de Epidemiologia e Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Os pesquisadores Pedro Fernandes da Costa Vasconcelos, doutor em Medicina e Saúde, referência nacional em Pesquisa de Arbovírus e diretor do Instituto Evandro Chagas; e Francisco Luzio de Paula Ramos, mestre em Clínica das Doenças Tropicais e chefe de Epidemiologia do Instituto Evandro Chagas, cumpriram duas agendas com a equipe de Epidemiologia da SES. A primeira no Laboratório Central do Estado (Lacen) com visita às novas instalações do Lacen. A segunda foi uma rodada de palestras para 100 profissionais de saúde no Rio Poty Hotel.

Durante as palestras, os pesquisadores trataram de aspectos clínicos, rápidos diagnósticos, vetores, biologia do vírus Zika e origem das arboviroses. “O Maranhão é um estado engajado na luta contra as arboviroses. A minha vinda para cá é uma clara demonstração do compromisso do governo em capacitar os seus profissionais para lidar com as diversas situações que estas doenças ocasionam na população. Precisamos abordar as perspectivas de futuro e formas cada vez mais avançadas de exterminar o mosquito transmissor das arboviroses, que é o Aedes aegypti”, afirmou o pesquisador Pedro Fernandes.

Já o acompanhamento clínico dos pacientes com arboviroses e as particularidades de cada tratamento foram abordados pelo Dr. Francisco Luzio de Paula Ramos. “Desde a entrada do paciente no hospital até uns dias após sua ida para casa, o paciente precisa ser monitorado para que saibamos o pós da doença e se, no futuro, ocorrerão sequelas. Os profissionais precisam estar atentos a todas as intercorrências e peculiaridades”, explicou Francisco Luzio de Paula Ramos, mestre em Clínica das Doenças Tropicais.

A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doença, Maria das Graças Lírio Leite, considera as palestras uma forma de novas apropriações de conteúdos sobre as doenças. “Fiz o convite aos pesquisadores porque é importante a troca de conhecimento, a reciclagem de ideias sobre doenças tão graves para o país. A Epidemiologia e Controle de Doenças fecha o ano com este evento fundamental para os profissionais assimilarem novos saberes de arboviroses que afetam a saúde pública”, avaliou Graça Lírio.

Visita ao Lacen

Os pesquisadores do Instituto Evandro Chagas conheceram as instalações do Lacen e comandaram uma roda de conversas com chefes de departamento da Vigilância Sanitária e Epidemiologia e Controle de Doença. O bate-papo foi centrado na constância das ações que o poder público deve ter para o combate eficaz e certeiro contra o mosquito Aedes aegypti.

“Da última vez que estive em São Luís, o Lacen não estava reformado. Agora, está tudo novo e moderno, constituindo um ganho para a saúde pública”, disse Pedro Fernandes da Costa Vasconcelos, doutor em Medicina e Saúde, referência nacional em Pesquisa de Arbovírus.

Desde junho, a realização do exame de sorologia para Chikungunya é feita no Lacen. Com essa descentralização do exame do Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará para o Maranhão, o prazo do resultado reduziu de 15 para cinco dias úteis na rede pública.

Ações de combate ao Aedes

Para fortalecer as estratégias de prevenção e combate ao Aedes aegypti, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), promove diversas ações. A capacitação de profissionais de mais de 20 municípios para implantação do Levantamento Rápido de Índices de Infestação (LIRAa), ampliando de 53 para 73 municípios, a força-tarefa ‘Brigada contra o Aedes’ e um hotsite são algumas das ações realizadas pela SES.

No mês de novembro, ocorreram inspeções em prédios públicos estaduais e treinamento de servidores para implantação das brigadas de combate ao mosquito. A força-tarefa, denominada ‘Brigada contra o Aedes’, consiste em tornar os servidores responsáveis por verificar as condições de limpeza do local de trabalho. Cada órgão público tem uma equipe de brigadistas que recebeu capacitação do setor de Epidemiologia e Controle de Doenças da SES.

Para intensificar a prevenção, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) disponibilizou o hotsite www.maranhaocontraoaedes.ma.gov.br, com informações específicas para fortalecer as ações preventivas.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...