lomadee

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

ProJovem Campo leva escolaridade e fortalece agricultura familiar no Maranhão


Há um mês, Maria Aparecida Souza, 28 anos, está comercializando alface produzida no quintal de casa. “Aprendi a fazer o canteiro e desenvolver o plantio durante as aulas do ProJovem. Hoje eu mesmo planto, rego e vendo”, revelou a estudante, enquanto regava a horta em sua residência, na Comunidade Eugênio Pereira, município de Paço do Lumiar.

A luminense e outros 15 colegas alunos do ProJovem Campo-Saberes da Terra, ação que acontece em regime de colaboração entre União, Estado e municípios, voltada para a educação de jovens e adultos do campo, destinado à oferta de Ensino Fundamental do 6º ao 9º ano, com qualificação social e profissional para agricultores e agricultoras familiares na faixa etária entre 18 e 29 anos, que saibam ler e escrever.

Eliete Silva, professora da turma na comunidade Eugênio Pereira, explicou a importância da prática para a aprendizagem dos estudantes do ProJovem. “Hoje, vivenciamos a prática com os nossos alunos, com canteiros que fizemos e os próprios alunos cuidam”, disse.

Coordenado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc), as atividades do programa estão em 15 municípios com 16 turmas e baseia-se na Pedagogia da Alternância, que combina dois tempos educativos: Tempo – Escola (período de atividade na escola) e o Tempo – Comunidade (período de atividades na comunidade) com a proposta de currículo integrado a partir de três elementos: eixos temáticos de estudo, área de conhecimento e arco ocupacional.

Na última semana, a Seduc realizou a III Formação Continuada do ProJovem Campo-Saberes da Terra, envolvendo profissionais que atuam nos municípios de Paço do Lumiar e São José de Ribamar.

“Nessa etapa de formação, o eixo temático trabalhado foi sistemas de produção e processos de trabalho no campo e o tema central foi a mesa de diálogo ‘Educação do Campo: instrumento para a formação dos agricultores/as e do desenvolvimento da Agricultura Familiar’, desenvolvida pelo professor Elias Rodrigues de Oliveira (IFMA) e pelo assessor técnico José Roberto Albuquerque (AGERP), com objetivo de fortalecer os conhecimentos sobre Educação do Campo e da Agricultura Familiar”, explicou a coordenadora pedagógica do programa na Seduc, Samira Trindade.

A professora Susiane Oliveira destacou a importância da formação. “Esse momento de formação nos acrescentou muito porque compartilhamos experiências a cerca das realidades diferentes de cada um. Saímos daqui com mais conhecimentos”, avaliou.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...