lomadee

segunda-feira, 27 de março de 2017

Com órgãos de investigação, solução de assaltos na capital é de 80%


Neste ano, 80% dos assaltos praticados na Região Metropolitana de São Luís foram elucidados, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública do Maranhão (SSPMA). O avanço é atribuído aos investimentos do Governo do Maranhão na criação de órgãos especializados de investigação criminal.

A resolução de crimes violentos letais intencionais (CVLIs) também é significativa. No comparativo de 2014 para 2016, subiu de 8% para 56% o índice de casos solucionados nas primeiras 72 horas. É de 2016, também, o índice de 35% para crimes resolvidos passados 30 dias após a ocorrência.

A implantação de órgãos especializados de investigação, no âmbito da Polícia Civil, é parte de uma série de mudanças administrativas realizadas na Segurança Pública, que incluem a entrega de novos equipamentos, promoções e contratações de policiais.

“Entre as medidas realizadas pelo secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, o principal destaque foi um diagnóstico preciso da situação das forças de segurança: Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Foram feitos investimentos para reestruturação de todo o sistema e a Polícia Civil foi beneficiada”, disse o delegado geral da Polícia Civil, Lawrence Melo.

Após o diagnóstico, foram elencadas três áreas prioritárias para a atuação da Segurança Pública: combate aos casos de homicídios, ao narcotráfico e à corrupção. O tripé foi estabelecido por considerar esses tipos de crimes os mais lesivos à sociedade.

Em resposta ao problema, foram criadas, na gestão Flávio Dino, a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), a Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) e a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

De acordo com o delegado geral de Polícia Civil Lawrence, as superintendências aumentaram a produtividade e a eficiência das investigações. Como parte das medidas de reorganização administrativa, houve, ainda, a otimização dos recursos e a integração das polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros.

“O maior legado da gestão do governador Flávio Dino e do secretário de Segurança, Jefferson Portela, não é especificamente o resultado. O resultado é consequência. O maior legado é a melhor utilização dos recursos disponíveis, passando pela integração das forças de segurança do estado, pois se verifica que as operações integradas ocorridas no Maranhão têm sido as de melhor aproveitamento”, destacou Lawrence.

Enfrentamento ao narcotráfico

A reorganização da Segurança Pública também trouxe avanços no combate ao narcotráfico, com a implantação da Senarc. De acordo com o delegado Lawrence, o órgão possibilitou a qualificação das investigações e o mapeamento da rota do tráfico de drogas.

Os resultados são a desarticulação de quadrilhas, por meio da busca e da captura dos chefes do tráfico, e o aumento na apreensão das drogas, retirando de circulação a fonte de renda das organizações criminosas.

Entre 2015 e 2016, a Senarc apreendeu mais de 14 toneladas de drogas, com destaque para a cocaína e o crack. Este ano, a polícia já conseguiu retirar das ruas mais de quatro toneladas de entorpecentes.

Órgãos especializados

O Governo do Maranhão continua investindo na criação de novos órgãos para qualificação das investigações criminais. No último dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o governador Flávio Dino assinou decreto que instituiu o Departamento de Feminicídio.

O departamento será vinculado à Superintendência de Polícia Civil da Capital e funcionará na Casa da Mulher Brasileira, que reunirá outros órgãos de proteção, como a Delegacia Especial da Mulher.

De acordo com delegado Lawrence, também serão criadas unidades do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística e Medicina Legal (Icrim) nas cidades de Caxias, Santa Inês, Codó e Chapadinha, aprofundando a política de interiorização das ações de segurança.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...