lomadee

sábado, 15 de abril de 2017

Atuação de USCs garante segurança em aproximadamente 40 bairros de São Luís


Policiamento nas ruas realizando abordagens, rondas e blitzen. Este é o cenário encontrado nos pólos Coroadinho e Vila Luizão com a atuação das Unidades de Segurança Comunitária (USCs). Juntas, as duas instituições garantem a segurança em aproximadamente 40 bairros no entorno, alcançando uma população de mais de 120 mil habitantes com atendimento diário.

As USCs integram os órgãos da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA) e foram estruturados a partir do modelo das UPPs – Unidade de Polícia Pacificadora, do Rio de Janeiro. O resultado é a diminuição dos índices de violência, principalmente, de homicídios e assaltos, que eram mais comuns nestas localidades. No Polo Coroadinho, por exemplo, a redução foi de 41%, comparando 2015 e 2016.

Um diferencial das USCs é a relação próxima entre a polícia e a comunidade. As bases são instaladas em área central dos bairros e estão sempre abertas à comunidade, 24 horas por dia. O tratamento mais humanitário e atuação parceira da polícia com os moradores é outro fator que influencia positivamente nas ações das unidades, destaca o subcomandante de Polícia Militar do Maranhão, coronel Jorge Luongo.

“As USCs nestas áreas estratégicas cobrem bairros que apresentavam alto índice de criminalidade, e a partir do trabalho direcionado para o combate desses casos foi possível reduzir as ocorrências. O que observamos é uma população mais tranquila, mais parceira da polícia e mais confiante na Segurança Pública”, avalia Luongo.

O lema que rege o trabalho das equipes é ‘união e parceria’, ressalta o major Raimundo Serra, comandante da USC Coroadinho. “A polícia não trabalha por números, mas sim, para melhorar a vida da comunidade. Aqui somos com uma família e temos a população como grande aliada”, enfatizou. Na avaliação do major Márcio Silva, que comanda a USC Vila Luizão, o trabalho se mostra eficaz por ter a população como parceira.

“Quando a população se sente segura contribui mais com a polícia, apoia o trabalho e reconhece os esforços. O modelo da USC conseguiu trazer essa unidade e fortalecer a relação com o público atendido. Para nós, essa é mais uma importante extensão do trabalho policial promovido nas unidades”, enfatiza major Silva.

A cobertura regular das áreas é garantida com o atendimento nas unidades, em rondas permanentes nas ruas e avenidas e durante as blitzen realizadas em pontos mais estratégicos. Nas blitzens o policiamento faz abordagens a veículos e pessoas, apreendendo de documentos a drogas, além de, em alguns casos, identificar e prender suspeitos.

O trabalho das equipes das USCs inclui ainda operações preventivas e repressivas de combate ao crime; e atividades educativas, sociais e de sensibilização nas escolas e comunidades atendidas. Em sua estrutura as unidades contam com policiamento em viatura, Esquadrão Garra (que atua em motocicletas) e Grupo de Resposta (tropa formada por efetivo especializado em ocorrências de maior gravidade).

A 1ª USC Vila Luizão/Divinéia conta com 10 câmaras em pontos estratégicos escolhidos pela comunidade; e efetivo de mais de 90 policiais, cinco viaturas, quatro motocicletas e dois quadriciclos. A USC também presta apoio ao 8º Batalhão da PM, nos bairros Turu, Chácara Brasil, Alonso Costa, Alto do Jaguarema, Central Parque e Parque Araçagi. A 2ª Unidade de Segurança Comunitária do Coroadinho/Bom Jesus conta com um efetivo de cerca de 80 policiais, seis viaturas, além de sistema de videomonitoramento em tempo integral, cobrindo aproximadamente 30 bairros.

População aprova
A redução de crimes apontada pela SSP é reconhecida também pela comunidade ao sair às ruas e constatar a segurança policial agindo em pontos, que antes, eram constantes alvos de assaltos e tráfico de drogas. Para a balconista Mariana Silva Nunes, 24 anos, a existência da USC tornou o bairro mais tranquilo para morar. Ela conta já ter pensado em vender a casa e mudar para um lugar menos violento. “Aqui era um terror. Os assaltos eram constantes e não importava se era dia ou noite. Isso caiu muito”, afirma a moradora da Vila Luizão, há 25 anos.

A comerciante Ana Maria Moraes, 60 anos, também moradora da área, presenciava assaltos constantemente. Os casos eram tantos que para se proteger cercou de grades todo o estabelecimento. A USC é a salvação do bairro, segundo ela avalia. “Já entraram aqui e roubaram mercadoria com a gente atendendo. Hoje, a situação é diferente. Nem parece aquele bairro cheio de crimes”, disse.

A dona de casa Maria Antônia de Jesus Soeira, 47 anos, elogiou o trabalho das equipes da USC. "Muito importante esse projeto e a gente se sente mesmo mais segura porque vê a polícia por perto e na rua direto. Com a polícia todo tempo andando nas ruas, o bandido vai pensar duas vezes em atacar”, enfatiza.

Para o vendedor Isaac Pires, 28 anos, que é nascido e criado no bairro, a iniciativa contribui para a tranquilidade na área. “Acho que incentiva a cultura de paz. Já tivemos dias muito difíceis no bairro, mas hoje, muitas coisas melhoraram e a presença da polícia tem grande participação nessa cultura de paz”, afirmou.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...