lomadee

terça-feira, 27 de junho de 2017

Governo distribui mais de 60 mil litros de biofertilizantes e incentiva produção agroecológica


A agroecologia alia a produção no campo com o uso e conservação dos recursos naturais, por meio de práticas ecologicamente adequadas, acesso à terra e valorização do conhecimento tradicional. No Maranhão, a produção agroecológica é uma característica das propriedades assistidas pelo Programa Agropolos, sobretudo pelo uso do biofertilizante Verdão, desenvolvido pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima). Mais de 60 millitros de biofertilizante já foram distribuídos e agora a secretaria vem ensinando os agricultores a produzirem o próprio biofertilizante.

Nos Agropolos da Ilha e do Rio Balsas, já foram realizadas capacitações para técnicos e produtores, com aspectos teóricos e práticos. Na Exposição Agropecuária de Imperatriz (Expoimp), a oficina também será realizada, contemplando os agricultores do Agropolo Rio Tocantins.

Márcio de Souza, técnico da Raposa, participou da oficina e ressaltou a importância de disseminar essa tecnologia, para modificar o costume do uso de agrotóxico. “A oficina foi muito gratificante, por que trouxe um conhecimento mais amplo sobre biofertilizantes e agroecologia. Agora precisamos ser multiplicadores e colocar em prática, pois sabemos que muitos agricultores ainda tem a cultura do uso do agrotóxico e novidades essa precisam ser introduzidas”, disse.

Composto de adubos orgânicos, como esterco bovino e de frango, vegetais diversos, como bananeira e cana de açúcar, rapadura e aceleradores biológicos de compostagem, o Verdão deixa as frutas mais robustas, suculentas e atraentes e as hortaliças com verde mais vivo e surgiu da necessidade de uma solução de baixo custo e alta rentabilidade para recuperação de solos desgastados.

“Estamos sempre buscando alternativas que permitam aos agricultores aumentar sua produção, de forma sustentável e de baixo impacto na renda de cada um deles e o biofertilizante cumpre bem esse papel”, reforça o secretário da Sagrima, Márcio Honaiser

Além disso, com o uso contínuo do Verdão, é possível obter produtos agrícolas mais saudáveis, manter o equilíbrio da natureza, preservando a fauna e os mananciais de águas e aumentar a resistência da planta contra a ocorrência de pragas. Pedro Paz Tolentino, agricultor do Agropolo Rio Balsas, já vai começar a produzir o próprio biofertilizante. “Já temos a maioria dos materiais aqui, daí pedimos só o acelerador. Não vamos ficar na teoria, já vamos testar, porque é mais barato que comprar”, disse.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...