lomadee

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Ensino técnico e profissionalizante do Estado recebem investimento histórico


O governo Flávio Dino realiza o maior investimento na área do ensino tecnológico e profissionalizante da história do Maranhão, onde só na formação técnico-profissional e apoio a projetos científicos o os recursos passam dos R$ 300 milhões em recursos. A criação de programas de estímulo ao aprendizado, a execução de reformas e construções de unidades de ensino técnico e o lançamento de editais contemplando também a área social, estão no conjunto de medidas.

O secretário de Estado de Ciência e Tecnologia (Secti), Jhonatan Almada, ressalta que são oportunidades aos estudantes do ensino fundamental e médio da rede pública, para que possam alcançar êxito pleno em seu processo de formação. Paralelamente, os incentivos à pesquisa e extensão são os mais relevantes disponibilizados por uma gestão estadual.

“Nosso trabalho se pauta na democratização do ensino profissional-tecnológico, apoio à pesquisa científica e implantação da política estadual de ciência, tecnologia e inovação com diversas linhas estratégicas, considerando as demandas das regiões atendidas”, reiterou.

Centros de ensino
Uma das mais destacadas ações está na implantação do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (Iema). Já somam três as Unidades Plenas em funcionamento, oferecendo ensino técnico em tempo integral em São Luís, Pindaré Mirim e Bacabeira. As sedes em Axixá, Coroatá, Cururupu, Timon e São José de Ribamar estão com as obras em fase de finalização com previsão de serem entregues ano que vem.

Novos prédios em construção em Coroatá, Matões, São Domingos, Carutapera e Santa Helena. Ainda este semestre serão inauguradas as Unidades Vocacionais de Balsas, Codó, Bequimão e Caxias. Integram o projeto as Unidades Vocacionais, sendo duas na Praia Grande com capacitação em turismo e cinema; e outra no Estaleiro Escola, no bairro Anjo da Guarda, oferecendo formação em logística portuária.

A mais recentemente inaugurada, a Unidade Vocacional de Ribeirãozinho, tem foco na produção de artefatos de couro, causando grande impacto social no município, valorizando a vocação local e possibilitando a inclusão. “Estamos construindo a maior rede de educação profissional do Maranhão com o projeto dos Iemas”, enfatizou o titular da Secti.

A rede dos Iemas oferece mais de 20 cursos técnicos. No cronograma está auxiliar administrativo, logística, meio ambiente, mineração, recursos pesqueiros, serviços jurídicos, eventos, agropecuária, agricultor familiar, cabeleireiro assistente, auxiliar em eletroeletrônica de manutenção, ajudante de pedreiro, empreendedorismo, programador de web e atendimento ao turista. São promovidas ainda ações itinerantes como palestras, seminários e intercâmbios culturais-científicos levando a educação técnica a todo o Maranhão.

De acordo com a Secti, até 2018 serão mais de 35 Iemas em funcionamento em todo o Maranhão.

Formação superior

A Universidade Estadual do Maranhão (Uema) vive o maior ciclo de crescimento e investimentos. “A instituição nunca foi tão valorizada por um governo, tanto pelo ponto de vista financeiro, quanto do reconhecimento pela sua referência no ensino superior estadual”, pontua Jhonatan Almada.

O Governo do Estado investe na construção de novos campi em Imperatriz, São Bento e São João dos Patos; a estruturação do campus de São Luís; e destina cerca de R$ 30 milhões aos projetos de pesquisa acadêmica desenvolvidas na instituição.

Foram abertas oportunidades de trabalho com as 52 vagas para professor efetivo, cujos concursos estão em andamento. “Representa uma ampliação expressiva no quadro da universidade, uma necessidade que está sendo atendida pela gestão”, ressalta. A criação de mestrados e doutorados, incluindo formação na área de Engenharia Aeroespacial, somam no projeto de reestruturação da universidade.

A Uema está integrada ainda no programa ‘Mais IDH’, por meio do ‘Mais Extensão Universitária’. A ação é realizada durante as férias e reúne professores e estudantes em atividades extensionistas nos 30 municípios com o menor Índice de Desenvolvimento Humano. Durante 15 dias os estudantes permanecem nas cidades realizando ações de alfabetização e capacitação.

Pesquisa e extensão

Integrada à estrutura da Secti, a Fapema – Fundação de Amparo e Apoio à Pesquisa e Extensão, possui hoje o maior investimento em relação às agências federais que atuam no Estado. É o maior fomentador da pesquisa e extensão no Maranhão. São cerca de R$ 30 milhões em recursos anualmente destinados ao financiamento de projetos em áreas de diversos setores das ciências.

O secretário pontua a implantação de medidas que fizeram da agência estadual referência na área, implantadas no gestão Flávio Dino. A gestão transparente, que pela primeira vez torna pública a identidade dos bolsistas da Fapema. As informações são atualizadas mensalmente e ficam disponíveis para consulta a qualquer tempo.

A inovação no campo social contemplando as demandas sociais e os interesses estratégicos do Estado, a exemplo dos editais que tratam da igualdade de gênero, igualdade racial e agricultura família. “São demandas consideradas estratégicas pelo Governo do Estado e que temos o compromisso de contemplar nos editais da Fapema”, reiterou o secretário Jhonatan Almada.

A organização anual do plano de trabalho que torna possível mensurar resultados e ordenar as ações é outro diferencial. Antes, as ações eram realizadas de maneira aleatória e sem o devido controle. A regionalização dos editais considerando as demandas da área contemplada e espaço para projetos de teor social são outras medidas. Neste último, a pesquisa contempla as demandas da sociedade e os interesses estratégicos do Estado. Somam-se neste conjunto os editais com foco na agricultura familiar, aquicultura e pesca, igualdade de gênero e de igualdade étnico-racial

Mais incentivos

O programa ‘Geração Ciência’ desponta como o maior edital para estímulo à pesquisa na Educação Básica e Ensino Médio, que oportuniza a formação científica dos professores e iniciação dos alunos nesta área. Com recursos da ordem de R$ 5 milhões para este ano, o Edital Universal está entre os mais importantes da Fapema, cujas inscrições permanecem abertas. Já somam 443 as propostas inscritas.

O PreUni está em atividade com os ‘Aulões do Enem’. São mega revisões aos sábados e domingos, preparando alunos para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As aulas prosseguem até outubro em cerca de 60 municípios, incluindo a capital. A Semana de Ciência e Tecnologia, promovida anualmente, está com os preparativos em andamento para a edição 2016.

Internet acessível e sem custos para a população é possível por meio do Programa ‘Cidadania Digital’, que já está disponível nas feiras da Cidade Olímpica e Anjo da Guarda, e na Rua Portugal, Praia Grande. O objetivo é ofertar internet onde há grande fluxo de pessoas possibilitando a inclusão digital.

Novas tecnologias e incentivo à pesquisa

Completando um ano de atividades, o ‘Cidadão do Mundo’ está com nova turma embarcando para o Canadá e Estados Unidos no dia 27 de agosto, para o aprendizado na língua inglesa. “Este é o primeiro grande programa de intercâmbio internacional promovido pelo Governo do Estado e que oportuniza essa experiência aos estudantes do Ensino Médio. Uma ação de grande relevância para a vida desses jovens”, disse Jhonatan Almada.

Interessados ainda podem se inscrever pelo ‘Cidadão do Mundo’ no site www.secti.ma.gov.br/programa-cidadao-do-mundo, até 12 de agosto. São 70 vagas disponíveis.

Capacitação online, gratuita e certificada é a proposta da ‘Plataforma Negro Cosme’, aberta a qualquer pessoa que queira ampliar seu aprendizado. Os cursos oferecidos são inglês básico, matemática e suas tecnologias, leitura e interpretação de texto, informática e novas tecnologias e introdução à pesquisa para o Ensino Médio. Para ter acesso aos cursos livres basta acessar o site www.secti.ma.gov.br/plataforma-negro-cosme.

O Lumiar – ‘Caravana da Ciência’ – mais novo programa de apoio à vocação cientifica do Governo do Estado, inicia dia 6 de agosto. O Lumiar tem como objetivo despertar as vocações científicas nas crianças e jovens do ensino fundamental e médio públicos, nas áreas de robótica, eletricidade básica, astronomia, games e o planetário.

“Esse conjunto de atividades pretende estimular estas vocações pela ciência e ampliar os conhecimentos com fins a formar futuros cientistas”, ressalta o titular da Secti. Nesta primeira etapa, o programa se desenvolve em 17 escolas de 17 municípios maranhenses.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...